Quarta-Feira, 20 de Novembro de 2019, 14:01

Notícia:

Valdir Piran, ex-deputado e mais quatro são presos acusados de desvio de dinheiro público; veja nomes

Valdir Piran, ex-deputado e mais quatro são presos acusados de desvio de dinheiro público; veja nomes Foto: Reprodução

09h10 - O ex-secretário adjunto da da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Francisvaldo Pereira de Assunção, também chegou a sede da Defaz nesta manhã. Questionado se acredita em perseguição, ele apena sorriu e disse "gostei da pergunta, gostei da pergunta". Ele já havia sido alvo de mandado de prisão na 'Operação Fake Delivery'. Conforme o apurado pela reportagem, Valdir Piran deve permanecer em Brasília (DF).

Leia também:
Homem é morto com mais de 10 tiros na frente de casa em MT



08h34 - Em sua chegada à Delegacia Fazendária, o ex-presidente do Cepromat, Djalma Soares, disse que agora não é o momento de falar. Antes, também já havia passado pelo local o também ex-chefe do órgão e ex-presidente da Câmara de Cuiabá, Wilson Teixeira (Dentinh). Ambos foram alvos de mandados de prisão.



07h50 - O empresário Valdir Piran e outras cinco pessoas foram presas nesta terça-feira (22), pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra Administração Pública (Defaz). Piran estava em Brasília, onde teve a ordem judicial cumprida. As ações fazem parte da operação 'Quadro Negro', que apura desvios de dinheiro público no antigo Cepromat.

Além de Piran, também foram alvos de mandado de prisão: o ex-presidente da Câmara de Cuiabá e do Cepromat, Wilson Celso Teixeira (Dentinho); o também ex-mandatário do mesmo órgão, Djalma Soares; ex-secretário adjunto da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Francisvaldo Pereira de Assunção; o fiscal de contratos, Edevamilton de Lima Oliveira e Weydson Soares Fonteles, este último detido em Brasília (DF).

A operação visa dar cumprimentos a mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão domiciliar com o objetivo de apurar desvios ocorridos no antigo Centro de Processamento de Dados do Estado (Cepromat), atual Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI). 

As ordens judiciais foram decretadas pela juíza Ana Cristina Silva Mendes, da 7ª Vara Criminal da Capital. Ao todo foram expedidos seis mandados de prisão preventiva e sete de busca e apreensão domiciliar, que serão cumpridos nas cidades de Cuiabá (MT), Brasília (DF) e Luziânia-GO.

A operação é coordenada pelos delegados Anderson Veiga, Luiz Henrique Damasceno e Bruno Lima Barcellos.



Alvo da Sodoma 4

Piran já foi alvo da quarta fase da Operação Sodoma, por suposta fraude de R$ 15 milhões na desapropriação do bairro Jardim Liberdade, em Cuiabá. A intenção seria desviar dinheiro público em benefício de uma organização criminosa liderada pelo ex-governador Silval da Cunha Barbosa.

Silval teria usado o dinheiro para saldar uma dívida com Piran.

 
Fonte: Olhar Direto

FOTOS DA NOTÍCIA Clique na foto para abrir

Comentários

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}