Notícia:

Grupo Assaí define área para seu empreendimento em Sinop

Imóvel privado, de frente para BR-163 irá abrigar o novo atacarejo do Grupo
Grupo Assaí define área para seu empreendimento em Sinop Foto: Reprodução

Mesmo sem contar com a “ajuda” da maioria dos vereadores, o Grupo Assaí continua disposto a investir na cidade de Sinop. Depois de tentar comprar a área do estádio municipal para instalar sua nova loja no Norte de Mato Grosso – e ver o seu intento sendo vetado pela Câmara – o grupo aposta em um imóvel privado para abrigar seu empreendimento.

Leia também:
Concessionária vai aumentar tarifa de água e esgoto em Sinop em 4,9%

O local escolhido para construção do atacarejo do Grupo Assaí em Sinop é uma área urbana extensa, bem localizada, mas que está há mais de 17 anos sem ter uma finalidade econômica. Trata-se do imóvel onde foi construído o Shopping Aruanã – um empreendimento idealizado pelo empresário Paulo Fiúza, nos idos de 2002, que até hoje não abriu suas portas.

O imóvel fica no cruzamento da Perimetral Ênio Pipino com a Rua dos Cajueiros. A parte construída, no que seria o complexo comercial idealizado por Fiúza, fica na Avenida dos Jacarandás. São 31,2 mil metros quadrados de área total, sendo que a parte construída tem 9,4 mil metros quadrados.

Segundo o advogado que representa a Succespar – empresa que faz a prospecção de negócios para o Grupo Assaí – Luiz Alfredo Bernardo, desde que a Câmara de Sinop “agiu de forma não republicana” quanto a instalação do empreendimento, todas as interlocuções com o município foram concentradas com a prefeita Rosana Martinelli.

Ao GC Notícias, Rosana disse que mesmo com a reprovação do projeto para venda da área do Estádio – através de uma permuta que resultaria em uma nova arena esportiva para a cidade – continuo as tratativas para que Sinop não perdesse esse investimento. “Embora tenhamos perdido a oportunidade de ter uma nova arena, esse empreendimento trará 300 empregos diretos para cidade”, ponderou Rosana.

A gestora disse que baseou sua atuação em diferentes pesquisas, que demonstraram o interesse da população de Sinop na vinda do Grupo Assaí. Segundo Rosana, alguns imóveis foram apresentados aos investidores, incluindo a área do Shopping Aruanã. “Sinop era a prioridade do Grupo Assaí, mas com a reprovação do projeto pela Câmara eles colocaram em primeiro plano a abertura da sua loja em Rondônia. Inicialmente a loja de Sinop abriria ainda em dezembro desse ano. Com essa mudança de planos, ficará para 2020. Talvez até a metade do ano. Mas o importante é que o Grupo não desistiu de investir no município”, frisou a prefeita.

A confirmação da instalação será dada em uma entrevista coletiva, as 15h30 de hoje, quarta-feira (13). Membros da diretoria do Grupo Assaí em Mato Grosso estarão em Sinop para fazer o anúncio.

ASSAÍ NA NOVA PREFEITURA

A confirmação da instalação do Grupo Assaí no imóvel pertencente ao empresário Paulo Fiúza fará a prefeitura de Sinop recuar no seu projeto do novo paço municipal. Rosana revelou em primeira mão para o GC Notícias que sua equipe estava em tratativas para fazer a locação do imóvel construído para ser um shopping. “Estávamos elaborando os projetos alugar esse imóvel e levar a estrutura da prefeitura de Sinop para o prédio [construído para ser o shopping]. Caberiam todas as secretarias lá”, revelou Rosana.

Caso o Grupo Assaí confirme a instalação naquele imóvel, a prefeita declarou que abrirá mão da locação e do projeto de mudar a prefeitura de lugar.

ASSAÍ EM SINOP

Em novembro de 2018 a Succespar Real Estate Desenvolvimento Imobiliário S.A. – uma empresa que prospecta negócios para o Grupo Pão de Açúcar – procurou o poder judiciário e a prefeitura de Sinop declarando interesse em adquirir a área do Estádio municipal. No local seria erguido um complexo comercial com um grande supermercado de perfil atacarejo, bandeira Assaí, além de uma street commerce, com 5 lojas, incluindo Mac Donald’s e Pizza Hut.

O grupo ofereceu R$ 26,7 milhões ou a construção de uma nova arena esportiva, como permuta. A avaliação conduzida pela justiça acabou apontando que o valor do imóvel era de R$ 61 milhões. O grupo recuou da vontade de adquirir todo o imóvel e passou a considerar a aquisição de um terço – mantendo o orçamento para investimento na casa dos R$ 26,7 milhões – mais R$ 50 milhões para construção do supermercado.

A prefeitura então pediu a permissão da Câmara para fazer o negócio. Em agosto desse ano Rosana enviou para Câmara o primeiro projeto de lei. Nele, a prefeita pedia a permissão para permutar um terço da área do estádio para instalação de um supermercado, em troca de uma nova arena esportiva – que seria erguida na área restante do terreno. Uma audiência pública foi realizada e, com ela, o projeto foi alterado.

Na nova matéria Rosana pedia a permissão para permutar um terço do imóvel (33,7 mil metros quadrados) por uma nova arena esportiva no valor mínimo de R$ 26,7 milhões – em local a ser determinado – e também para leiloar os dois terços restantes. Esse foi o projeto que a Câmara derrubou.

O Grupo Pão de Açúcar projetava erguer um atacarejo em Sinop com 17 mil metros quadrados de área construída e 11 mil metros quadrados de estacionamento, com pelo menos 400 vagas. Seria um empreendimento “relâmpago”, que abriria as portas em 6 meses, gerando 500 empregos diretos.

 

Fonte: GC Notícias

FOTOS DA NOTÍCIA Clique na foto para abrir

Comentários

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}