Notícia: Lei Maria da penha

Esposa do presidente da OAB afirma que agressões eram constantes

Luciana Póvoas diz que cansou de andar com roupas longas e de mangas compridas para esconder as marcas
Esposa do presidente da OAB afirma que agressões eram constantes Foto: RepórterMT/Reprodução

A advogada Luciana Póvoas Lemos revelou ser vítima de agressões constantes, tanto físicas como psicológicas, por parte do marido, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso, Leonardo Pio Campos. Em depoimento na Central de Flagrantes, na madrugada desta quinta-feira (28), disse que esse é o motivo pelo qual o casal está se separando. Revelou que se cansou de usar roupas longas e de mangas compridas para esconder os roxos e marcas das agressões do marido.

Leia também:
PM fecha festa clandestina com adolescentes, droga e bebidas; cidade é a 2ª em MT com mais casos e mortes de Covid-19

Os motivos da discussão que terminaram com empurrões, agressões verbais e a prisão de Leonardo são relatados pela advogada e mostram uma situação bem diferente da que o presidente da OAB expôs em áudio mandado a advogados. Luciana relatou que nesta quarta-feira ligou diversas vezes e mandou mensagens ao marido após ver uma notícia sobre um assalto, por volta das 17h, e pensar que a vítima poderia ser ele. Mas não obteve respostas.

Ela relata que Leonardo chegou em casa por volta das 22h. Bêbado, ele não gostou de ser questionado pela esposa e durante uma discussão a empurrou, além de chamá-la de "louca, descompensada e desiquilibrada".

Os dois estão se divorciando, mas ainda moram no mesmo apartamento no bairro Goiabeiras. Luciana disse que Leonardo possui uma arma de fogo e, apesar de nunca ter sido ameaçada de morte, sentiu medo e pediu para que ele deixasse o apartamento. Foi neste momento que o presidente da OAB teria ficado agressivo e passou, inclusive, a filmá-la.

Luciana descreve que era refém de Leonardo, que apesar de serem sócios em um escritório de advocacia, ele escondia os números e também a deixava financeiramente vulnerável.

Luciana afirma que se sentia "escrava, submissa e dependente" do presidente da OAB-MT.

O caso

A Polícia Militar (PM) foi acionada para atender uma ocorrência da Lei Maria da Penha, em que o marido havia xingado, empurrado e agredido a vítima, no bairro Goiabeiras.

Leonardo, por volta das 23h, foi preso e levado para Central de Flagrantes de Cuiabá, local onde ficou até a manhã desta quinta-feira.

Ele foi liberado após decisão da Justiça. Ele nega as acusações.

O caso está sendo investigado pela Delegacia da Mulher de Cuiabá. 

 

Fonte: Repórter MT

Comentários

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}