Notícia:

Deputada "minimiza" atrito e garante que MDB segue na base de Mauro

Janaína Riva, porém, cobrou mais espaço ao MDB na gestão estadual
Deputada Foto: Reprodução

A deputada estadual Janaína Riva (MDB) tentou “mudar o foco” da discussão ocorrida na manhã desta quarta-feira (16) entre o deputado federal Carlos Bezerra (MDB), uma das principais lideranças da sigla no Estado, e o governador Mauro Mendes (DEM).

Em conversa com jornalistas na tarde desta mesma quarta-feira, a parlamentar revelou a jornalistas que ela própria indicou o cargo comissionado de direção na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), para atuar em Confresa (1.167 KM de Cuiabá). A “disputa pela vaga” teria sido o pano de fundo de uma “ameaça” de Carlos Bezerra, que falou em “romper” com Mauro Mendes.

“Essa é uma discussão inclusive de dentro do MDB. Esse cargo lá no qual o Bezerra se refere, ele é indicado pelo MDB municipal, mas que tem uma divergência hoje com o MDB estadual. Então, apesar de parecer que se estava pleiteando mais espaço, é um cargo hoje que já é do partido, inclusive a indicação fui eu que fiz, e o Bezerra não concorda”, esclareceu Janaína Riva.

Leia também:
''Estamos fazendo o dever de casa'', afirma Dal Molin em lançamento de programa que prevê R$ 105 milhões à saúde

Janaína Riva, porém, tentou minimizar a disputa dos bastidores, que se tornou pública, dizendo que o caso se trata de uma “discussão interna” do MDB. “São coisas internas do partido que infelizmente acabou se criando essa situação do Bezerra com o governador. O partido hoje não cogita sair do Governo. Essa foi uma atipicidade, um fato que aconteceu isolado, não representa o que o partido quer. O partido permanece na base do Governo. É uma discussão acalorada como acontece na vida pública. Infelizmente aconteceu dessa forma, e acabou se tornando pública essa discussão do Bezerra”, esquivou-se a parlamentar.

Admitindo que a cobrança de cargos “pega mal” – embora a prática seja tão velha quanto a própria política -, Janaína Riva, curiosamente, aproveitou para também “cobrar mais espaço” ao MDB no Governo do Estado. “O que o MDB cobra do Governo é que um partido que representa 30% dos votos válidos numa eleição não pode ser tratado hoje como o MDB está sendo tratado. Na nossa opinião, hoje a gente tem pouca representatividade. Olha o número de secretários que tem o DEM e olha o número de secretários que tem o MDB. O DEM teve 10% dos votos válidos”.

RUSGA

Na manhã desta quarta-feira, o deputado federal Carlos Bezerra e o governador Mauro Mendes estiveram presentes em Cuiabá no evento da entrega simbólica de maquinários que serão utilizados na manutenção de 16 mil quilômetros de rodovias.

A certa altura da solenidade, o governador Mauro Mendes disse a Carlos Bezerra, em meio aos presentes no local, as seguintes palavras: “Bezerra, se vai romper conosco por causa de um cargo no Governo? Aí para né Bezerra. Se já foi governador, pô! Já foi governador. Por causa de um cargo?! Ah, por causa de um carguinho lá em Confresa?!”.

Ao fundo, é possível também escutar o deputado federal Carlos Bezerra dizer que o governador “não cumpria sua palavra”.

Após o episódio, que foi presenciado inclusive por jornalistas que cobriam o evento, Mauro Mendes minimizou a “conversa atravessada”. “Não é briga não. Isso é normal, isso faz parte. Toda vez que ele vai lá [na sede do Governo] ele é atendido”.
 

Fonte: Folha Max

Comentários

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}