Sábado, 20 de Julho de 2019, 16:48

Notícia:

Polícia encontra 2ª ossada; ex é morta enquanto 3 filhos dormiam - veja vídeo

Polícia Civil localizou, no fim da manhã desta terça (14), a segunda ossada das vítimas de Adilson Pinto da Fonseca, 48 anos, acusado de assassinar e enterrar os corpos da ex-mulher e da namorada em 2013, no bairro Nova Conquista, em Cuiabá.

O homem é acusado de assassinar Talissa de Oliveira Ormond, 22, que era sua namorada, e Benildes Batista de Almeida, 39, sua ex. O caso é investigado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP).

-Talissa é a vítima número 1, era a namorada

De acordo com o delegado Fausto José Freitas da Silva, as ossadas deverão passar por análise, para que seja possível identificar cada uma das vítimas do homem.

“Agora vamos fazer a completa identificação das vítimas. Há fortes suspeitas de que a ossada encontrada ontem seja da Talissa e a de hoje seja da Benildes. Porém, como são ossadas e se passaram cinco anos e meio, a perícia vai precisar identificá-las por meio das arcadas dentárias ou por análise de familiares”, explicou.

Para que os restos mortais das mulheres fossem localizados, a Polícia Civil fez, desde a manhã de segunda (13), intenso trabalho no local com um trator. As vítimas foram enterradas em uma área de terra, localizada em frente à casa do acusado.

O delegado revela que desde os desaparecimentos das mulheres havia suspeitas de que o homem tivesse cometido os crimes. Porém, até então não havia informações concretas que pudessem relacionar o homem aos assassinatos. “Era uma crença. Uma opinião. As investigações precisam de provas, que foram sendo construídas aos poucos”, declarou.

“Quando assumi as investigações dos dois casos, logo identifiquei indícios de que ele poderia ser o autor. Isso nos motivou a representar pela busca e apreensão no local. Com sinceridade, a gente acreditava que encontraria um corpo aqui, mas encontramos os dois”, completou Silva.

Para o delegado, passados quase seis anos dos crimes, Adilson vivia com a certeza de que não seria punido. “Ele tinha esperanças de passar ileso. Não é algo que a pessoa está contando que vai haver uma reviravolta”, declarou.

O homem permanece preso. Na tarde de segunda, ele foi até a residência, junto com a Polícia, para que pudesse mostrar onde estavam os corpos. A princípio, ele confirmou que assassinou apenas a namorada. As duas ossadas foram encontradas a cerca de três metros de distância.

-Adilton é preso por ocultação de cadáver

As ossadas foram encontradas a mais de um metro de profundidade, nas proximidades da calçada da casa do acusado.

-Primeiro é encontrado na tarde desta segunda, em terreno baldio, a poucos metros da casa onde o acusado morava. As duas ossadas serão periciadas

 

A morte de Benildes

Conforme as investigações, o acusado matou Benildes enquanto os três filhos deles dormiam, um dia antes de a mulher retornar à Espanha, onde morava. “Ele matou a mulher e sumiu com o corpo na mesma noite. Ele a jogou no fundo de um buraco com água, onde a enterrou depois de uma semana”, explicou o delegado.

E-esposa Benildes

Segundo o responsável pelas investigações, o homem dizia aos filhos que a mulher embarcou para a Espanha. “Ele ficou esse tempo todo enrolando a família. Ele dizia que ela ligava para ele”.

Em relação a Talissa, segundo a Polícia, o desaparecimento dela foi comunicado em 8 julho de 2013, cerca de quatro dias depois de sumir. A mãe da moça contou que ela tinha saído para trabalhar em uma empresa de telefonia e não mais deu notícias.

Na empresa, conforme a polícia, a chefe da vítima informou à mãe que naquele dia ela tinha trabalhado o dia todo e, quando saiu, havia um rapaz moreno em uma motocicleta à espera dela. Mas ninguém a viu sair com ele. No dia seguinte, a vítima teria ligado na empresa pedindo socorro. Depois não deu mais notícias.

Casado

O delegado relatou que Adilson atualmente estava casado com uma prima de Benildes e tem uma filha com a mulher.

Segundo a Polícia, não há registros de violência doméstica do homem contra a atual esposa. “Mas há casos em que a pessoa não comunica sobre agressões às autoridades”, frisou.
De acordo com o delegado, a atual companheira de Adilson foi ao local de buscas pelas ossadas e chorou muito ao acompanhar o caso.

Em depoimento à polícia, o acusado afirmou estar arrependido dos crimes. “Mas ele me pareceu um indivíduo muito frio. Em nenhum momento demonstrou emoção a respeito”, disse.

 

Fonte: RD NEWS

Comentários

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}