Notícias

Terça-Feira, 03 de Abril de 2018 14:25

Exportações de soja do Brasil mais do que triplicam em março

As exportações de soja do Brasil saltaram quase 208% em março ante fevereiro, para 8,81 milhões de toneladas, e ficaram bem próximas das 8,97 milhões de igual período do ano passado, com o ritmo diário de embarques mais forte em 2018
Exportações de soja do Brasil mais do que triplicam em março Foto: Reprodução

Dados divulgados nesta segunda-feira (02) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) mostram que, em março, foram vendidas ao exterior, em média, 419,7 mil toneladas da oleaginosa por dia, contra 390,4 mil toneladas por dia há um ano.

O Brasil é o maior exportador mundial de soja, e seus embarques costumam aumentar a partir de março, à medida que avança a colheita país afora. O ritmo de exportação mais acentuado neste ano, contudo, pode indicar uma maior procura pela commodity brasileira, uma vez que a Argentina, outro importante fornecedor mundial, viu sua safra quebrar em razão de uma severa estiagem. Os problemas no país vizinho acabaram por dar sustentação aos preços internacionais da soja, estimulando os produtores brasileiros a comercializar.

De acordo com o Cepea, os preços da soja voltaram a subir nos últimos dias, especialmente em razão da recente valorização do dólar frente ao real. Além disso, produtores estão retraídos, fazendo com que compradores paguem mais pela oleaginosa.

A firme demanda externa, especialmente da China (pelo grão) e da Coreia do Sul (para o farelo), também deu suporte aos prêmios de exportação e aos valores domésticos. No porto de Paranaguá (PR), o valor médio do Indicador Esalq/BM&FBovespa da soja, em março, superou em 6,25% o de fevereiro.

Milho

As exportações de milho do Brasil também cresceram em março na comparação anual, embora tenham caído em relação ao mês de fevereiro.

Segundo a Secex, foram exportadas 605,3 mil toneladas do cereal no mês passado, ante 1,25 milhão em fevereiro e 243 mil um ano antes. A expectativa de analistas do mercado é de que o País exporte 30 milhões de toneladas do grão neste ano.

No mercado físico, de acordo com o Cepea, os preços do milho continuam em baixa em muitas praças de São Paulo, Santa Catarina e de Mato Grosso do Sul. Em Campinas (SP), região de referência do Indicador Esalq/BM&FBovespa, o recuo foi de 1,63% entre 23 e 29 de março, fechando a R$ 40,35 por saca de 60 kg na quinta-feira (29). No mês, porém, o Indicador ainda acumulou alta, de 2,93%.

Fonte: Portal do Agronegócio

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}