Quarta-Feira, 23 de Outubro de 2019, 04:48

Notícia:

Enfermeira que estava desaparecida há 11 dias foi morta por PM a mando do marido

Enfermeira que estava desaparecida há 11 dias foi morta por PM a mando do marido Foto: Reprodução

Um soldado da Polícia Militar identificado como Marcos Vinicius Pereira Ricardi, confessou ter assassinado a enfermeira Zuilda Correia Rodrigues, de 43 anos, que estava desaparecida desde o dia 27 de setembro, em Sinop (420 quilômetros de Cuiabá). De acordo com ele, o crime foi encomendado pelo marido dela, identificado como Ronaldo Rosa. 

Leia também:
Policiais apreendem 106 quilos de droga e criminoso é baleado na troca de tiros em Mato Grosso

A Polícia Judiciária Civil confirmou a reportagem que o suspeito confessou o crime minutos depois das equipes encontrarem o corpo da vítima. Ele trabalhava em um comercio que pertence ao esposo da mulher e contou que o crime foi encomendado por Ronaldo, mas não disse qual teria sido a motivação.

O corpo da vítima foi encontrado na manhã desta terça-feira (8), em um córrego na zona rural de Sinop (420 Km de Cuiabá). Ronaldo está foragido.

A Polícia Civil realiza buscas para tentar localizar o suspeito de ser mandante do crime. 


O caso

Conforme o boletim de ocorrência, o marido de Zuilda procurou a delegacia para registrar o desaparecimento da enfermeira. No veículo dela foram encontrados sinais de manchas com sangue e fios de cabelo. Ele afirmou que passou no hospital onde ela trabalha para buscá-la após o término do plantão. Como ele estava trabalhando com venda espetinhos, deixou a mulher em casa e voltou ao trabalho. Como ela não apareceu, ele resolveu retornar por volta das 20 horas.

Na casa, o homem constatou que a mulher e uma Toyota SW4 preta não estavam no local. Como disse ter achado que ela estava na igreja, resolveu voltar para o trabalho. Já por volta das 21 horas, encontrou a caminhonete estacionada em frente a residência e trancada.

 

Fonte: Olhar Direto

Comentários

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}