Domingo, 25 de Fevereiro de 2018, 09:13

Notícias

Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018 11:00

Chuva prejudica plantio do algodão e milho em MT

Áreas de instabilidade continuam bastante ativas sobre grande parte do Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Pará, Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia
Chuva prejudica plantio do algodão e milho em MT Foto: Reprodução

Áreas de instabilidade continuam bastante ativas sobre grande parte do Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Pará, Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia. Essas chuvas, com exceção do Mato Grosso, vêm mantendo os solos com bons níveis de umidade, favorecendo o pleno desenvolvimento das lavouras. Muitas lavouras já se encontravam sob forte estresse hídrico, porém, com o retorno das chuvas nessa semana, as condições melhoram substancialmente. Sendo assim, as perspectivas de produtividade são boas em todas as regiões produtoras do Centro-Oeste, Sudeste e do Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia.

Em Mato Grosso, muitos produtores estão em plena colheita da soja, sendo que muitas áreas já estão dessecadas e em processo avançando de dessecação. Desse modo, as chuvas intermitentes que vem ocorrendo no estado estão prejudicando a realização da colheita e até mesmo o plantio do algodão e do milho segunda safra. Ainda é muito cedo para falar em perdas, mas é fato que essas chuvas estão causando muita apreensão aos produtores que têm soja a colher, já que a previsão ainda é de chuvasregulares para os próximos quatro dias. Uma nova invernada se formou sobre o estado, e isso poderá acarretar algumas perdas bem pontuais na qualidade e produtividade, principalmente nas regiões produtoras da BR-163 e no Parecis. Somente na semana que vem é que essa linha de instabilidade perde força e, consequentemente, permite que os trabalhos de colheita voltem a ser favorecidos.

Já em São Paulo e em grande parte da região Sul, a quinta-feira será marcada pelo tempo aberto e com possibilidades apenas para pancadas de chuva. O que não será de todo mal, uma vez que nos últimos dias houve registros de bons volumes de chuva sobre essas localidades, o que elevou os níveis de umidade no solo. Entretanto, as chuvas só deverão retornar à Região Sul do Brasil, incluindo São Paulo, em meados da semana que vem. Até lá o tempo seguirá aberto e sem previsão de chuvas generalizadas, apenas com possibilidades para eventuais pancadas de chuvas muito irregulares.

Paraguai e Argentina

No Paraguai, a previsão é de chuva para grande parte do país, o que manterá uma condições complicada para a realização da colheita da soja. Sendo que somente mais no começo da semana que vem é que o tempo abrirá sobre o Paraguai, conferindo boas condições à realização da colheita.

Na Argentina, a situação é inversa. Os próximos cinco dias ainda serão de tempo abertoe sem chuva sobre todas as regiões produtoras. Apenas poderão ocorrer pancadas muito isoladas, principalmente sobre a metade norte do país. As chuvas só devem retornar às regiões produtoras em meados da semana que vem. Até lá, o tempo seguirá aberto e sem previsão de chuva, o que mantém certa apreensão no mercado. Porém, ainda não dá para falar em perdas significativas na produção de grãos, mas é fato que esse período mais seco na qual a Argentina vem passando poderá acarretar em perdas no potencial produtivo das lavouras.

Será muito difícil o país atingir níveis de produção que foram observados na safra passada. Mas mesmo assim, está longe de ter intensas quebras de produtividade, pois se confirmarem as chuvas para semana que vem e o mês de fevereiro for de chuvas mais regulares e em bons volumes, as condições ao desenvolvimento das lavouras irão melhorar muito.

Fonte: Portal do Agronegócio

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}